Como superar a síndrome do pânico

Publicado por:  Leonardo Lima

A síndrome ou ataque do pânico é um transtorno pouco conhecido, mas que pode afetar cerca de 2,5% das pessoas em algum momento da vida. As provocações que levam à síndrome são variadas e o diagnóstico pode ser complicado, já que esse transtorno se confunde com doenças cardíacas.

Essa confusão se dá porque o coração da pessoa, que está sofrendo com o problema, acelera muito e induz o médico a acreditar em infartos, então o médico faz exames de eletrocardiograma e não outros.

Por isso, superar a síndrome do pânico exige dedicação, do médico e do paciente, principalmente porque um dos maiores provocadores é a ansiedade. Então, se por um acaso você sente muita ansiedade é preciso tomar alguns cuidados para não desenvolver o transtorno.

O pânico pode ser necessário em algumas situações, como quando se sofre um ataque de animal e se ativa uma reação incontrolável, mas isso se diferencia da síndrome do pânico, porque esta gera desespero por coisas aleatórias.

Pessoas que sofrem com isso podem ter ataques simplesmente ao ver um cachorro parado. Sendo assim, a pessoa pode ter sua vivência social prejudicada por causa do medo, da vergonha e muitos outros transtornos.

A melhor forma de combatê-la, inicialmente, é conhecendo o que é a síndrome do pânico. Neste texto, que tem em média 10 minutos de leitura, você encontrará as principais dúvidas sobre o transtorno, veja:

  1. Sintomas da síndrome do pânico
  2. Motivos para o desenvolvimento da síndrome do pânico
  3. Quais os tratamentos para superar os ataques de pânico?
  4. Paciência é a solução para a ansiedade
  5. Conclusão

Como superar a síndrome do pânico

Sintomas da síndrome do pânico

A superação da síndrome do pânico começa com a identificação dos sintomas. A partir disso é preciso ir ao médico para receber um diagnóstico completo e o que deve fazer a partir daí.

Imagine que você se desespere quando o carro entra em túnel ou fica com medo quando o metrô se aproxima rapidamente de você. Esses podem ser problemas que indicam um ataque de pânico, por isso, não os ignore achando que é só uma fase.

Superar a síndrome do pânico é uma questão de persistência, calma e antes de tudo é necessário entender seus sintomas, veja:

  • o ataque de pânico é repentino, não há um horário ou algo que mostre quando ela vai acontecer;
  • palpitações no coração, muitas pessoas confundem as palpitações com problemas cardíacos, causando uma confusão até para os médicos. Assim, acabam fazendo testes de eletrocardiogramas e outros para identificar o problema errado;
  • sensação de falta de ar ou sufocamento;
  • tontura ou vertigem;
  • dores abdominais ou náusea;
  • desmaios;
  • excesso de transpiração;
  • medo de morrer;
  • sensação de irrealidade que causa pensamentos catastróficos, como: queda de um elevador que você está dentro, pensamentos sobre um cachorro que você viu na rua atacando pessoas, queda do avião que você está, etc;
  • parestesia: formigamentos, coceiras e dormência que você sente em alguns lugares do corpo.

A síndrome do pânico tem esses sintomas como os mais comuns. Em consequência deles, muitos portadores do transtorno podem buscar um refúgio no alcoolismo e outras soluções nada saudáveis, podendo até desenvolver um quadro de depressão.

A ansiedade que isso causa nas pessoas pode deteriorar seus relacionamentos e sua qualidade de vida. Pois, isso gera um estresse muito grande, visto que essas pessoas tendem a ficar “desesperadas” por coisas pequenas, além de sofrer com insônia.

Pessoas que têm síndrome do pânico podem desenvolver outro tipo de transtorno associado a ansiedade, por exemplo, a agorafobia, esse transtorno é a consequência de não querer frequentar mais locais em que você teve um ataque de pânico. Evitando então um convívio normal.

Outra coisa comum em quem tem a síndrome de pânico ou sofre com a agorafobia, é ter ataques em meio a locais que estão cheios de pessoas, multidões causam um medo intenso em pessoas que sofrem com a síndrome de pânico e a agorafobia.

Uma dúvida que causa intrigas diariamente em quem tenta superar a síndrome do pânico é saber como esse transtorno se desenvolveu. Por isso, a seguir, separamos algumas formas de desenvolvimento da síndrome do pânico.

Motivos para o desenvolvimento da síndrome do pânico

Entender os motivos é um dos maiores passos para superar a síndrome do pânico já que o desenvolvimento do transtorno parte de diversas coisas da vida ou do psicológico da pessoa.

O desenvolvimento em si não é tão claro ainda para a medicina, porém há motivos que são comuns em diversos pacientes, como:

  • estresse acentuado e recorrente;
  • genética do seu DNA ou herança hereditária;
  • uso abusivo de remédios que têm efeitos colaterais e geram impactos psicológicos;
  • grandes mudanças na vida, por exemplo: mudança de casa, faculdade, trabalho estressante ou um relacionamento mal resolvido;
  • ansiedade grave;
  • hipoglicemia: a insulina é um hormônio que produzimos pelo pâncreas, é ele quem transmite a entrada da glicose em nossas células e sangue e isso regula nossa pressão cardíaca e outras funções muito importantes de nosso organismo.

Portanto, a hipoglicemia pode causar diversas doenças, como:

  • câncer;
  • insuficiência cardíaca;
  • renal;
  • diabete.

Porém, elas podem estar associadas a síndrome de pânico pela grande alteração que sofre o organismo. Os sintomas são parecidos e a ansiedade grave se aparenta muito com a hipoglicemia.

Além disso, a hipoglicemia pode ser causada pelo consumo excessivo de álcool e excesso de atividade física sem compensação na alimentação. Os sintomas que se confundem com hipoglicemia e a síndrome do pânico, são:

  1. náusea;
  2. suor constante;
  3. confusão mental;
  4. parestesia;
  5. palpitações e taquicardia;
  6. pensamentos catastróficos e o medo de morrer.

Por haver tantos sintomas parecidos é fundamental que o responsável pelo paciente faça uma bateria de exames bem específica para identificar cada uma das doenças, visando o melhor tratamento e curar a pessoa o mais rápido possível.

Para o paciente, resta se prevenir desse tipo de coisa e tentar expor os seus problemas para pessoas que conhece, afinal, Shakespeare já disse uma vez que:

“A dor que não fala, geme no coração até que o parte.”

Portanto, tente se abrir com pessoas de confiança ou até mesmo considere fazer terapia. Porque expor problemas e buscar soluções para eles é uma necessidade que todas as pessoas têm.

Assim, você terá dado o primeiro passo para superar a síndrome do pânico. Agora, a etapa seguinte é buscar soluções, por isso, veja abaixo quais os tratamentos existentes para este transtorno psicológico:

Como superar a síndrome do pânico

Quais os tratamentos para superar os ataques de pânico?

Uma pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS) relatou que entre 4 a 6 milhões de brasileiros sofrem com o transtorno de pânico, afetando então 4,4% da população de todo o Brasil, desse percentual cerca de 70% dos casos são de mulheres.

Ou seja, muitas pessoas precisam iniciar o tratamento contra a síndrome do pânico para retomar seu bem-estar. E, para isso, o melhor remédio é a psicoterapia, com a recomendação de que o seu terapeuta seja especializado em terapia cognitivo-comportamental como recomenda o doutor Dráuzio Varella.

Os médicos provavelmente indicarão antidepressivos e exercícios para treinar você diante do medo com o intuito de evitar surtos incontroláveis. Caso o médico lhe prescrever algum remédio, faça a utilização deles no horário certo e nos dias indicados.

Aqui cabe um lembrete: é essencial saber que não se pode automedicar. Até um remédio para dor de cabeça deve ser receitado pelo médico, pois nunca se sabe exatamente o que está causando isso. Logo evitar a automedicação é o primeiro passo, ok?

Como os transtornos de pânico ou de agorafobia são influenciados pela ansiedade, o tratamento se baseia na diminuição dos níveis de ansiedade e também do estresse. Abaixo nós listamos algumas tarefas para você se desestressar e superar a síndrome do pânico, veja:

  1. yoga: yoga é uma prática de vários exercícios físicos que estimulam a leveza espiritual para aliviar o estresse e diminuir a ansiedade, essas práticas vêm da Índia;
  2. boxe: sabia que boxe alivia o estresse de uma forma surpreendente? Pois bem, vá a uma academia e faça aulas de boxe, socar um saco de areia pode ser bem útil para aliviar o estresse do trabalho, dos estudos ou qualquer coisa que faça você se sentir sobrecarregado;
  3. exercícios: por falar em academia, praticar esportes, como: corrida, natação e outros. Pode ser a solução para a ansiedade, já que este será um momento só seu e que pode ser aproveitado para pensar nos assuntos que vêm lhe incomodando.
  4. leitura de livros: ler livros é como se você estivesse em outra realidade, já diziam diversos escritores, portanto, se você precisa de distração, recomenda-se que os leia;
  5. conversa: como já citamos no texto, confie em pessoas que possam te ouvir e dar conselhos, exponha seus problemas e tire os pesos de suas costas, além de não ficar se martirizando por coisas fúteis.

Ao seguir essas 5 recomendações, os seus níveis de ansiedade ou estresse podem baixar para diminuir a frequência de ataques de pânico. Com esse passo a passo você vai conseguir melhorar seu dia a dia até superar a síndrome do pânico.

Estima-se que o tratamento para esse transtorno dure entre 6 meses e 1 ano, as melhorias podem demorar algumas semanas para vir, mas o importante é que você continue com o tratamento até o fim para ficar 100% curado.

Outra solução para superar a síndrome do pânico é desenvolver a sua paciência. Isso mesmo, vamos ver o porquê? Continue a leitura.

Paciência é a solução para a ansiedade

A paciência faz parte do processo para superar a síndrome do pânico, além de continuar com o tratamento e os exercícios para espairecer a mente: você precisa desenvolver uma calma extrema quando começar a se sentir ansioso.

Há ataques de pânico que duram 10 minutos, porém se um psicoterapeuta pode te ajudar com técnicas para diminuir o tempo dos ataques de ansiedade ou estresse. E seguir algumas dicas de controle emocional também podem ajudar, separamos algumas veja:

  1. imaginar um lugar seguro: um dos principais ataques de pânico é começar a imaginar grandes problemas, portanto, em vez de ficar pensando em catástrofes, treine sua mente para pensar em locais seguros que provocam alívio em você;
  2. respiração: contar até 10 e dar 3 respiradas profundas traz uma calma excelente para quem quer superar a síndrome do pânico;
  3. chás ou bebidas quentes: as bebidas quentes nos proporciona uma sensação de calma e leveza das preocupações, por isso, elas são recomendadas para momentos de relaxamento. Quem sofre com a síndrome do pânico pode aproveitar muito disso;
  4. ouça músicas que te acalmem: coloque uma música calma e que mais lhe agrade, isso ajudará a diminuir os efeitos da síndrome do pânico, e ainda elevar sua autoestima.

Essas 4 práticas, se exercitadas diariamente, vão auxiliar você a superar a síndrome do pânico, além diminuir todas as suas preocupações em relação à ansiedade. E tem mais, a prática de número 4 tem o poder de melhorar sua produtividade no trabalho.

Segundo uma pesquisa da Universidade de Miami - EUA, realizada em 2012, a música ativa a concentração, o bem-estar e o foco. Assim, você pode diminuir o estresse e ser mais produtivo no trabalho.

Conclusão

Superar a síndrome do pânico é antes de tudo controlar o estresse, a ansiedade ou qualquer sintoma apresentado. Eles são os “culpados” para o desenvolvimento desse transtorno então é preciso vencê-los.

Mas cuidado para não se frustrar tentando sozinho e não conseguindo, porque a ansiedade pode fazer parte de nossa personalidade, por isso, se deve procurar por especialistas que dará a explicação e orientação personalizada para o seu caso, ajudando a evitar os ataques de pânico.

Superar a síndrome do pânico demanda paciência que muitas vezes quem sofre com isso não tem, portanto, treinar a sua mente ou ter hábitos que tornem sua rotina mais calma pode aliviar esses problemas.

E se, diante do que foi exposto, você suspeitar que está sofrendo com a síndrome do pânico e deseja ajuda profissional para superá-la, entre em contato conosco por aqui, nós vamos te ajudar.


Comentarios

síndrome síndrome do pânico ansiedade pânico

Nos envie uma mensagem