Hábitos parafuncionais, odontologia e suas consequências

Publicado por:  Leonardo Lima

Hábitos parafuncionais são ocasionados, geralmente, por estresse e pode estar relacionado a problemas odontológicos como disfunção temporomandibular (DTM) e outros. Esses hábitos podem gerar dores musculares ou até mesmo ocasionar a quebra de dentes.

O bruxismo é uma consequência disso. A odontologia considera isso como desordens de um funcionamento anormal. Há outros hábitos que podem gerar mais problemas. Para esclarecê-los, preparamos este texto.

Nele, explicaremos o que são os hábitos parafuncionais, o que pode ser feito para parar, entre outras coisas, veja:

  1. O que é e quais são os hábitos parafuncionais?
  2. Como diminuir os hábitos parafuncionais?
  3. Há tratamento para hábitos parafuncionais?
  4. Doenças que as consequências dos hábitos parafuncionais podem causar
  5. Hábitos parafuncionais são hereditários?
  6. Conclusão

Hábitos parafuncionais, odontologia e suas consequências

O que é e quais são os hábitos parafuncionais?

Os hábitos parafuncionais são manias que prejudicam e muito a saúde bucal de uma pessoa, uma vez que ao se criar a mania de morder objetos muitas bactérias chegam a boca. Isso pode causar doenças que atinjam a saúde bucal, causando até traumatismos em arcadas dentárias.

Os hábitos parafuncionais são causados por vários motivos:

  • mania;
  • esforço mental no trabalho ou nos estudos;
  • estresse;
  • nervosismo.

Já as práticas noturnas dos hábitos parafuncionais são consequências de ansiedade ou de estresse também. Afinal, quais são estes hábitos parafuncionais que prejudicam o bem-estar e a saúde bucal das pessoas? Veja a seguir:

7 hábitos parafuncionais mais comuns

Os hábitos parafuncionais como já dito, são consequências de manias, então você os fará automaticamente quando seu estado mental estiver exausto ou fora do seu padrão. Neste momento abre-se a possibilidade de que um desses 7 hábitos parafuncionais mais comum ocorram:

  1. apertar os lábios: este hábito pode acontecer não só quando a pessoa está acordada, mas também quando estiver dormindo. E mesmo que a pressão seja feita com a mão ou com os dentes, isso pode prejudicar a arcada dentária com o tempo;
  2. bruxismo: esta é uma mania que pressiona o dentes uns contra os outros involuntariamente quando se está dormindo. Portanto, isso pode causar quebra nos dentes ou cãibras nos músculos da mandíbula, entre outros problemas;
  3. roer unhas: um dos hábitos parafuncionais mais comuns que prejudica a saúde bucal de uma maneira que poucas outras conseguem, visto que as mãos e as unhas possuem bactérias que causam doenças como: disenteria, infecções, etc;
  4. chupar dedos: mais comum em crianças, este hábito parafuncional causa muitas complicações na arcada dentária, puxando os dentes para frente e fazendo com que os dentes fiquem “acavalados”;
  5. morder objetos: por vezes as pessoas têm costumes de morder alguns objetos enquanto pensam, trabalham ou estudam. Morder um lápis, caneta ou qualquer outra coisa que não seja comida não é nada saudável, além de levar bactérias para boca, elas prejudicam o esmalte dos dentes e até o formato deles;
  6. apoiar o celular no ombro: algumas vezes por estar com as mãos ocupadas as pessoas atendem o celular pressionando-o entre o ombro e a orelha. Isso, além de provocar um possível torcicolo, pode gerar uma complicação em sua mandíbula e causar danos a sua arcada dentária;
  7. mastigar com apenas um lado: ter o costume de mastigar com apenas um lado da boca vai levar seus músculos ao limite e causar muitas dores, além de problemas no futuro, uma dor de dente pode fazer com que você tenha essa atitude, por isso sempre consulte um profissional odontológico.

Estes 7 hábitos parafuncionais são os mais repentinos em situações que causam traumas ou doenças que são complicadas de serem revertidas, porque essas manias viram hábitos e para vencê-las é preciso ter muito autocontrole.

Então, se as manias estiverem no início e for possível controlá-las ainda, evite-as. Porque as consequências são bem ruins, veja:

Consequências dos hábitos parafuncionais

Os hábitos parafuncionais podem parecer manias pequenas que não causam nenhum dano a sua saúde, porém se forem feitos diariamente e com excesso, as coisas começam a mudar e sua saúde bucal pode ser afetada da seguinte forma:

  • desgaste nos dentes;
  • dores de cabeça;
  • insônia;
  • sensibilidade dental;
  • quebra de dentes;
  • disfunção temporomandibular (DTM)

Esta última consequência será destacada ao longo do texto, visto que ela é uma consequência bem preocupante dos hábitos parafuncionais cujo tratamento pode chegar até em uma cirurgia de emergência.

Abaixo nós temos algumas dicas para diminuir os hábitos parafuncionais em sua rotina, acompanhe:

Hábitos parafuncionais, odontologia e suas consequências

Como diminuir os hábitos parafuncionais?

Para diminuir a frequência de hábitos parafuncionais serão necessários mudanças em sua rotina, postura e até mesmo a compra de alguns acessórios para evitar alguma mania que tenha em seu dia a dia.

Veja alguns exemplos de como evitar tais manias:

  1. apoiando celular no ombro: para evitar esse tipo de hábito parafuncional você pode comprar um fone de ouvido que tenha microfone para atender o telefone e conversar normalmente;
  2. morder objetos: aqui será necessário um autocontrole mesmo, visto que não há um acessório ou algo que faça você parar, então é preciso força de vontade e disciplina;
  3. roer unhas: essa dica não é muito usual, porém para evitar de roer as unhas você pode passar um tipo de esmalte especial para isso, ele é ruim para o seu paladar e corrige esse hábito, mas antes de adotar esse produto, consulte um especialista.
  4. apertar os lábios: neste caso você também vai precisar de uma iniciativa própria para ter autocontrole e evitar essa mania, caso não consiga, faça uma consulta com o psicólogo, às vezes, você pode ter algum tipo de ansiedade.
  5. chupar dedos: um hábito parafuncional comum em crianças. A solução para ele pode ser um esmalte incolor (o mesmo para parar de roer unhas), ele não tem um gosto nada saboroso, portanto ao chupar o dedo a pessoa sentirá um gosto amargo e deixará o hábito de lado;
  6. bruxismo: esta doença deve ser tratada por um dentista. Entretanto, o paciente pode evitar o estresse e a ansiedade para diminuir a sua incidência;
  7. mastigar com apenas um lado: essa mania pode forçar os músculos mandibulares, então, tente se concentrar na hora de mastigar para evitar isso, este hábito parafuncional não é nada saudável. Faça o acompanhamento com um dentista, às vezes, será preciso a correção da arcada dentária.

De maneira geral é preciso conhecer e entender os hábitos parafuncionais que você tem para que então os elimine de sua rotina.

É importante que você consulte um especialista para eliminar suas consequências e para controlá-las caso tenha dificuldades em fazer isso sozinho.

Hábitos parafuncionais em crianças

Muitas crianças sofrem com seus próprios atos quando são diagnosticadas, visto que os hábitos parafuncionais em crianças são bem comuns. Muitas vezes elas têm essas manias de forma inconsciente.

Veja alguns exemplos de hábitos parafuncionais em crianças, abaixo:

  • deglutição atípica: deglutir é o ato de engolir alimentos, porém há a atípica que é feita com uma movimentação inadequada da língua e de outras estruturas que podem causar diversos problemas na estrutura oral da criança;
  • sucção não nutritiva: as famosas e muito utilizadas, chupetas, causam a sucção não nutritiva e isso pode afetar a saúde bucal da criança de uma forma muito perigosa, visto que os dentes podem “acavalar” como dissemos no início do texto;
  • interposição lingual: a interposição lingual é quando a língua trava na parte de baixo da boca, logo dificultando a dicção da fala. Este problema pode causar muitos transtornos na vida de uma criança.

Estes hábitos parafuncionais são os mais comuns nas crianças, com isso é muito importante que você leve a criança para receber um diagnóstico e busque conselhos de especialistas para diminuir os efeitos.

Afinal, há tratamento específico para hábitos parafuncionais ou não? Confira abaixo.

Há tratamento para hábitos parafuncionais?

Sim, mas para seguir com o tratamento de crianças, por exemplo, é necessário um diagnóstico completo dos efeitos dos hábitos parafuncionais e suas consequências na vida dela.

Como os hábitos parafuncionais são desenvolvidos de forma involuntária pelos pacientes, eles, provavelmente, só irão consultar um responsável odontológico quando sentirem dores e efeitos sobre suas arcadas dentárias.

E os tratamentos podem ser simples. O apertamento dentário, o famoso bruxismo, pode ser tratado sem a necessidade de medicamentos ou cirurgias.

Porém, se os efeitos do bruxismo já causaram algumas dores ou transtornos bucais, então, será necessário ir em um especialista da odontologia.

Enfim, utilizar um protetor bucal como os dos pugilistas pode ser bem útil para evitar a quebra de dentes.

Além disso, evitar o estresse é muito saudável para diminuir as ocorrências do apertamento dentário. Os reparos que a odontologia oferece para hábitos parafuncionais exigem muita colaboração dos pacientes, visto que a primeira determinação dos dentistas devem ser a interrupção imediata dessas manias.

Existem dois processos bem simples de tratamento, são eles:

  • diagnóstico e educação do paciente para evitar a incidência dos hábitos parafuncionais;
  • tratamento das consequências dos hábitos parafuncionais.

Uma preventiva outra consecutiva a doença. Por isso, ir ao dentista com frequência e observar mudanças de hábitos é importante.

 

Doenças que as consequências dos hábitos parafuncionais podem causar

Já citamos algumas doenças ao longo do texto que são consequências dos hábitos parafuncionais, com o tempo elas só tendem a piorar, porém tem uma que causa ainda mais preocupação nos pacientes, que é a DTM. Veja o que é isso, a seguir?

O que é a Disfunção Temporomandibular?

O bruxismo e a DTM caminham juntos nas consequências dos hábitos parafuncionais, visto que ambos são doenças preocupantes, mas você sabe por quê?

A DTM é uma consequência do apertamento dentário ou bruxismo e isso pode trazer traumas e anormalidades no crescimento de dentes, anormalidades na mandíbula e até na quebra de dentes.

Ranger os dentes, morder com muita força são fatores comuns que geram a DTM, por conta disso as mulheres em idade reprodutiva (20 a 40 anos de idade, normalmente) são as mais atingidas pela DTM, porque a disfunção vem do estresse e ansiedade.

No período menstrual há alterações genéticas e hormonais que contribuem para isso. Por isso, estima-se que 80% dos indivíduos que sofrem com a DTM são mulheres.

Ainda para efeitos de comparação e dados que podem mostrar a gravidade dos hábitos parafuncionais, 25% das pessoas que tem DTM possuem algum nível de depressão. Afinal, é uma disfunção que está ligada a ansiedade e estresse, ambos os sentimentos causam níveis de depressão assustadores nas pessoas.

Hábitos parafuncionais, odontologia e suas consequências

Limitações na articulação

Assim como a DTM é uma consequência do apertamento dentário e bruxismo, existem as limitações na articulação que a DTM gera, pois os problemas nas mandíbulas estão diretamente ligados aos músculos.

Como já citamos, é bem possível que você sinta cãibras ao praticar os hábitos parafuncionais que está acostumado a fazer. Com isso, você pode ter problemas sérios nos músculos dessa região do corpo.

Para efeitos de comparação, em um simples beijo você movimenta cerca de 27 músculos da região facial, portanto a movimentação muscular nesses hábitos são intensas.

Além disso, se as dores persistirem em relação aos hábitos parafuncionais é bem provável que ela chegue a um ponto em que você não vai conseguir abrir mais a boca, pois os músculos estarão tão exaustos e estressados que você não terá forças e muito menos aguentará as dores.

Imagine se você quiser bocejar, por exemplo, isso causará tamanho transtorno ao ponto de que a única solução pode ser uma cirurgia para reparar tais danos nos tecidos musculares.

Consulte um especialista em DTM na odontologia e veja o que é possível fazer para evitar que os seus hábitos parafuncionais cheguem a este ponto.

Hábitos parafuncionais são hereditários?

Em 2011 a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) fez uma pesquisa para saber se os hábitos parafuncionais são hereditários ou se eles são desenvolvidos de forma independente.

O método de pesquisa foi aplicado em 50 crianças e seus pais respectivamentes, fazendo entrevistas e observando se os casos eram passíveis de serem obtidos de forma hereditária.

O hábito parafuncional mais comum analisado foi o de morder objetos, cerca de 74% dos entrevistados possuíam essa mania. Já para efeitos de afunilamento, os pais tinham o hábito de apertamento dentário.

A conclusão da pesquisa se constitui em resultados que não demonstraram associação o suficiente para diagnosticar os hábitos parafuncionais como hereditários. Mas os pais podem agir como um agente combatente dessas manias em seus filhos, visto que eles devem se portar como um exemplo para a mente copiadora das crianças.

Então, o mais importante é que os pais tratem os seus hábitos parafuncionais, caso tenham, para evitar que a criança copie.

Conclusão

Os hábitos parafuncionais são prejudiciais e quanto antes você tomar o controle da situação dessas manias e perceber que isso está prejudicando a sua saúde bucal, melhor será para o seu bem-estar e até mesmo para a sua autoestima.

Além disso, essas consequências podem causar transtornos nas crianças também, além de que outras crianças podem praticar bullying por causa dos efeitos visuais ou sonoros que os hábitos parafuncionais causam na feição ou fala do colega.

Portanto, a consulta e os conselhos a serem recebidos de um profissional da odontologia são muito importantes para tratar dos hábitos parafuncionais e diminuí-los antes que alguma consequência mais grave seja causada.

Faça um diagnóstico e detecte as consequências dos hábitos parafuncionais: agende uma consulta aqui.


Comentarios

Hábitos parafuncionais odontologia e suas consequências odontologia consequências dentista roer unhas

Nos envie uma mensagem