Ozonioterapia: tudo que você precisa saber

A ozonioterapia é um método terapêutico que oferece muitos benefícios. Você já ouviu falar desse método de tratamento? É algo bem legal, porque não envolve remédios, vacinas ou algo que gere dor e ainda por cima é barato comparado aos outro métodos.

E não é nada complicado, pelo contrário é bem simples. O tratamento é feito através do gás ozônio, retirado da água. Com ele é possível tratar e curar algumas doenças de modo indolor, seguro, efetivo e barato.

Como a maioria das tecnologias modernas que temos, essa a ozonioterapia foi descoberta num período de guerra, mais especificamente na 1ª Guerra Mundial. Assim como outras descobertas medicinais que vem desses momentos horríveis da história, por exemplo, o uso de quinina contra malária, vacina contra tifo, penicilina entre outras

É comum vermos na história grandes descobertas em períodos críticos, porque sempre procuramos nos adaptar às necessidades que as situações difíceis apresentem.

Assim aconteceu no passado com o uso da terapia de ozônio medicinal e está acontecendo novamente, pois esse tratamento tem um ótimo resultado para saúde dos pacientes e além disso, um valor bem reduzido.

Segundo a economista Celina Ramalho, professora da FGV, os custos do tratamento da ozonioterapia frente aos métodos tradicionais diminuem de 20% a 80%.

Por isso, esse método é regulamentado em diversos países. Afinal, quem não quer pagar menos para ter resultados efetivos contra doenças?

Neste artigo, você saberá tudo o que precisa sobre a ozonioterapia e no fim, certamente, marcará uma consulta para aderir ao tratamento imediatamente, quer ver? Venha conosco e leia o que preparamos até o fim.

A ozonioterapia é mais barata

Os custos com a ozonioterapia são bem menores que a dos tratamentos convencionais. Porque os métodos comuns podem, dependendo da doença, ser bem caros, pois eles envolvem o uso de remédios, curativos, equipamentos, internação e afastamento do trabalho.

Já a terapia usando o gás ozônio é bem reduzida, pois ela dispensa o uso de remédios, curativos, internação e até cirurgias. Ou seja, os custos com o tratamento comparados aos tradicionais são baratos, tanto para clínica ou hospital quanto para o paciente.

Mas para que você entenda melhor isso, separamos dois exemplos de doenças tratadas com a ozonioterapia e fizemos comparações se elas fossem tratadas sem o ozônio. Veja a seguir.

Diferenças de tratamento com a ozonioterapia e sem

Um estudo realizado por pesquisadores cubanos e citado pelo Governo do Estado do Mato Grosso em 2016 diz que é bem mais barato usar a ozonoterapia que antibióticos.

Isso não só por conta do valor, mas também pelos efeitos colaterais que os remédios apresentam. A terapia com o ozônio, se aplicada de modo correto, não apresenta efeitos colaterais como os remédios.

Veja dois exemplos, feitos por Anny Karoliny Nesi, de 2 doenças que quando tratadas com a ozonioterapia tem seus custos reduzidos e apresentam resultados satisfatórios para o bem-estar do paciente:

hérnia de disco e dores crônicas nas articulações

Apresentamos abaixo o que normalmente é feito em um tratamento comum e comparamos com o que é feito na terapia com a ozonioterapia, veja e compare as vantagens:

No tratamento convencional: é preciso fazer uma cirurgia da hérnia de disco e após no mínimo dez sessões de fisioterapia, por isso, o paciente deverá se afastar do trabalho.

Uso da ozonioterapia: um máximo de dez sessões, que poderá evitar a cirurgia, assim não será preciso gastos extras.

infecções

Da mesma forma que a anterior, será abordado as duas possibilidades, comum e com o ozônio, compare:

No tratamento convencional: a internação em casos infecções é quase inevitável, assim como o uso de antibióticos e em consequência o afastamento do trabalho.

Uso da ozonioterapia: uma média de dez sessões, ambulatorial ou hospitalar com possibilidade de não precisar de internação.

E então, o que achou? A pesquisadora afirma que evitando a internação, o uso de remédios e o afastamento do trabalho, a economia gerada, pode ser no mínimo dez vezes menor que em um tratamento comum.

Como funciona o ozônio medicinal?

Agora que você viu o como é bom para o bolso investir na ozonioterapia, porque é bem mais barata que os tratamentos convencionais, deve estar curiosos para saber como uma substância encontrada dessas pode ser tão eficaz e o tratamento tão barato no combate às doenças.

Então, agora, falaremos sobre o funcionamento do ozônio no nosso corpo, como ele age e quais as propriedades dele. Já adianto, são incríveis, veja:

Algumas pesquisas concluíram que o ozônio medicinal tem efeito analgésico, germicida, bactericida e anti-inflamatório, ele age sobre fungos e vírus, também melhora a oxigenação, o metabolismo do corpo e a circulação sanguínea.

Sendo assim, a ozonioterapia se mostrou muito útil no tratamento em infecções de hepatites crônicas e várias outras doenças, falaremos mais sobre isso abaixo.

E ainda por cima foi percebeu-se que a substância regula o funcionamento do sistema biológico. Além disso, o ozônio (O³) é oxidante e por isso fortalece o processo de cicatrização e reparação dos tecidos.

“...por ter capacidade de eliminar protozoários, possui elevado e comprovado poder desinfetante e esterilizante” (Citação no artigo de Anny Nesi, página 6)

Viu só como funciona o ozônio medicinal? É incrível, não acha? Mas não é nada milagroso tudo que se sabe foi por meio de pesquisas científicas sérias e com resultados comprovados.

Uso terapêutico da Ozonioterapia

Diante desses benefícios, a ozonioterapia é usado na Europa, Ásia e também na América. Os EUA e Cuba usam ela como técnica alternativa para o tratamento de feridas de difícil cicatrização, por exemplo, em paciente diabéticos.

A seguir, apresentamos as doenças mais comuns que podem ser tratadas pelo ozônio, elas foram registradas em estudos acadêmicos. Estes exibidos aqui foram reunidos por Daniela Affonso Morette, veja:

Doenças infecciosas:

  • vírus: sarampo, catapora, rubéola...
  • bactérias: hanseníase, disenterias bacterianas...
  • fungos: candidíase, onicomicose, peniciliose…
  • parasita: toxoplasmose, tricomoníase, leishmaniose…

Doenças autoimunes:

  • esclerose: afeta o cérebro, os nervos ópticos e até a medula espinhal
  • artrite reumatóide: inflamação que afeta as membranas de articulações das mãos, punhos, cotovelos, joelhos, etc
  • doença de Crohn: inflamação intestinal que pode afetar partes do aparelho digestivo, da boca até o ânus.

Doenças pulmonares:

  • enfisema: doença respiratória desenvolvida nos pulmões, causando dificuldade para respirar
  • asma: também é uma doença respiratória, mas esta inflama as vias aéreas, dificultando a respiração.

Doenças de neuropatias:

  • neuropatia periférica: dor, fraqueza dos músculos, dormência e até formigamento
  • labirintite: inflamação do ouvido interno, causando perda auditiva, tontura ou vertigem.

Esses foram só alguns exemplos, a ozonioterapia também é usada nos consultórios odontológicos, porque assim como nos casos apresentados, os resultados são muito bons. Trataremos melhor sobre isso a seguir.

A ozonioterapia na odontologia

Continuando as pesquisas, descobriu-se que a ozonioterapia nos tratamentos dentários é bem eficaz e de fácil aplicação, por isso, atualmente ela é cada vez mais usada pelos dentistas em procedimentos como implantes, extração, necrose dos maxilares e outros.

Detalhamos alguns usos, veja:

  • cárie: a substância age inibindo e até destruindo diversas bactérias da cavidade bucal, assim é usada para tratar as lesões que são provocadas pela cárie
  • periodontia: em grande parte a periodontia é causada por bactérias e descobriu-se que elas são sensíveis ao ozônio aquoso, sendo bem efetivo na diminuição do sangramento
  • endodontia: aqui é preciso eliminar os microrganismos durante o tratamento para cicatrização e como o ozônio é antimicrobial e estimula a regeneração óssea, seu uso é muito bom
  • cirurgia oral: a terapia com ozônio acelera a cicatrização de feridas e é usado para maior oxigenação local durante esse procedimento
  • dor e disfunção da articulação: pesquisa indica que nesses casos, quando usado a ozonioterapia, ocorram uma resolução da dor (ou sintomatologia dolorosa) em até 84% do casos.

Para se ter uma noção maior, o uso dessa técnica é de grande interesse dos dentista no Brasil. E se mostrou tão importante e eficiente que em 2006 foi fundado a Associação Brasileira de Ozonioterapia (ABOZ), nela são oferecidos cursos de habilitação aplicada a odontologia.

Uso do ozônio medicinal nas clínicas odontológicas

O uso do ozônio no consultório odontológico pode ser feito por meio de pulverização ou ele pode ser injetado por:

  • gás diretamente no tecido
  • água ozonizada
  • óleo ozonizado

O meio usado dependerá do tratamento adotado, quem decidirá isso será o cirurgião-dentista durante uma consulta, ele saberá o método mais adequado para o seu caso.

Onde fazer ozonioterapia

Bom, agora que você já viu os benefícios que os tratamentos feitos pela ozonioterapia oferecem, tanto no que diz respeito à efetividade quanto nos custos envolvidos, eu te pergunto:

que tal usar fazer um tratamento dental usando essa técnica maravilhosa?

Você pode aproveitar tudo que foi dito na prática de forma rápida e simples, mas onde? Na BelaClin, nós conhecemos na prática como o uso do ozônio nos tratamentos dentários dos nosso clientes é eficaz.

Por isso, investimos nele, então conheça os bons preços da ozonioterapia que nós oferecemos. Faça contato conosco por telefone, WhatsApp, e-mail, ou venha conhecer nossa clínica. Clique aqui e saiba como.

Além disso, se ainda tiver alguma dúvida em relação a ozonioterapia, deixe seu comentário abaixo que responderemos. Afinal, além de conhecer pesquisas sobre o assunto, nós também temos grande experiência no uso dele.


Comentarios


Nos envie uma mensagem